26 de ago de 2011

É muito difícil pra mim ter que me abrir e falar o que sinto quando tenho que limitar a minha fala. Para os meus sentimentos não existem limites. Falo o que vier à cabeça, pergunto coisas que podem paracer bobas. Muitas vezes não penso. Não sei fazer coisas premeditadas. Ajo na impulsividade a maior parte do tempo.
Queria que as pessoas entendessem que eu não vivo de mãos dadas com a guerra. E que pensar nela me causa agoniante dor de cabeça.
Gosto do não pensar. Em todos os sentidos. Do ser livre dentro da minha cabeça. E isso inclui não ter conceitos formados.
Sentir é tão mais gostoso. Ser leve é tão mais gostoso!
Não quero ao meu lado, pessoas que carregam opiniões formadas sobre mim e , muito pior, que não me enxergam verdadeiramente [não há nada pior que ser visto como o outro quer que você seja visto].
Não tenho que falar tudo que penso para não parecer dissimulada ou sonsa.
Estou cansada de tantos julgamentos. Porra, eu sou livre. Meu sentimento, meu pensamento e minhas ações são livres. Livres de conceitos mesquinhos, livre de iras, livre dessa energia pesada e sugadora.
Se vocÊ não pode me ouvir, ao menos me leia. Mas se tiver dúvidas de quem sou, por favor, me pergunte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário