11 de dez de 2008

.

O dia, um rio.
Sofrer pelo perdido
Cobiçar o não-tido
Amar sem medida
Oferecer-me inteira
Dar com os burros n'água
Chorar de madrugada
Continuar a vida.

(Mel mandou pra mim... "escrevi num desses dia de chuva na alma", ela disse.)

Um comentário:

  1. O que seria da primavera se as folhas não caíssem pra anunciar um chão mais bonito no dia seguinte?

    Bjs mil

    ResponderExcluir